Recordista do lançamento do disco, potiguar sonha com Paralimpíadas

21 nov 2013

O Rio Grande do Norte tem mais uma paratleta figurando entre as melhores do Brasil no atletismo. A potiguar Ray Ferreira, 47 anos, vive o melhor momento da carreira e sonha em disputar Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Recordista brasileira no lançamento de disco, ela ainda comemora as duas medalhas de ouro conquistadas durante a última etapa nacional do Circuito Loterias Caixa. A competição foi realizada em Fortaleza, nos últimos dias 9 e 10.

Ela sagrou-se bicampeã competindo nas provas do lançamento de disco e arremesso de peso, o que motiva a atleta a continuar com os treinos fortes, os quais ela divide entre academia e lançamentos.

Na competição, Ray atingiu as marcas de 22,37m no disco e 6,74m no peso, resultado que rendeu as medalhas de ouro e o bicampeonato na prova do disco na categoria S44. A atleta é a recordista brasileira desde 2011, e atual segunda colocada no ranking mundial, com a marca de 27,72m.

– Fiquei muito feliz com o resultado. Apesar de não ter muitos atletas competindo nesta última etapa, o nível da competição foi forte. É muito gratificante ganhar o ouro e ver que o trabalho rendeu frutos – disse.

Para 2014, Ray ainda não sabe quais as competições que participará. Ela competiu em Fortaleza à base de medicação e ainda trata uma lesão nos joelhos. Além disso, o calendário de competições para o próximo ano ainda não está definido.

– Vou aproveitar essa pausa de fim de ano e me tratar, estou inclusive recebendo acompanhamento de um fisoterapeuta. Agora é esperar a divulgação das datas e competições para que possa focar nas provas que irei participar – comentou.
O foco de Ray , porém, é participar dos Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. O sonho está bem perto de se concretizar, e ela buscará o índice técnico nos próximos anos.

– Cada vez que eu recebo um não, eu tenho mais vontade de treinar e de fazer bonito. Eu até já pensei em parar, mas eu sei que ainda posso fazer melhor no esporte e representar melhor o Rio Grande do Norte. A minha perspectiva é competir até 2016 – disse.