Quenianos mantêm superioridade e vencem a Corrida de Reis em Cuiabá

13 jan 2014

Pelo sexto ano consecutivo os atletas africanos mantiveram a superioridade e alcançaram o topo do pódio da Corrida de Reis. Na 30ª edição da competição, uma das maiores do país e que abre a temporada de corridas de rua no Brasil, atletas conhecidos do público mato-grossense se destacaram mais uma vez. Os quenianos Edwin Kipsang e Nancy Kipron repetiram o desempenho do ano passado e cruzaram a linha de chegada em primeiro lugar no masculino e feminino. Esta é a segunda vez que Kipsang vence a prova. Já Nancy é tricampeã da Corrida de Reis (2009, 2013 e 2014). Os dois também são os atuais campeões da Corrida de São Silvestre.

O calor e o sol forte, marcas constantes da Corrida de Reis, deram uma trégua aos atletas na manhã de ontem domingo. Em um trecho da prova chegou a chover. Mas o clima ameno apenas contribuiu para que o ‘passeio’ dos quenianos pudesse ser apreciado pelos demais competidores nos 10 quilômetros do percurso. Desde o início da corrida, a dupla Edwin Kipsang e Mark Korir puxou o pelotão de elite masculino. Korir, que também já venceu a prova em 2012, desta vez foi o segundo colocado. Em terceiro ficou o atleta José Márcio Leão da Silva, do Cruzeiro. Raimundo Nonato e Reginaldo José da Silva completaram o pódio masculino.

No feminino, cinco atletas se destacaram já no início da prova. Nancy Kipron, Sara Makera, Sueli Pereira, Jackline Sakilu e a mato-grossense Nadir Sabino. No sétimo quilômetro, Nancy já abria uma grande vantagem à frente das adversárias no feminino. Ela manteve o ritmo e cruzou em primeiro a linha de chegada. Em segundo ficou Jackline Sakilu, da Tanzânia, e Sara Makera, também da Tanzânia. Sueli Pereira e Nadir Sabino ficaram em quarto e em quinto, respectivamente.

A prova

A Corrida de Reis chegou à 30ª edição com algumas novidades. Pela primeira vez a corrida teve transmissão ao vivo pela TV Centro América para todo o estado. E este ano o percurso mudou, mas continuou com 10 quilômetros de extensão.

A largada dos 10 mil atletas inscritos permaneceu na região da Ponte Sérgio Motta, em Várzea Grande, região metropolitana da capital. Logo nos primeiros dois minutos, o atleta Fernando da Silva assumiu a ponta. Ao entrar na Avenida Beira Rio, Fernando liderava a prova seguido por um grande pelotão de brasileiros e africanos. No quilômetro seguinte, Korir, Kipsang, José Márcio e Pablo da Costa passaram a liderar.

Um dos trechos que mais exige dos atletas é a subida da Avenida Fernando Corrêa da Costa. Naquele ponto, os dois quenianos assumiram a liderança e deixaram os dois brasileiros para trás. No quilômetro quatro, próximo ao 9º Batalhão de Engenharia e Construção, os africanos já abriam uma boa vantagem e corriam lado a lado. No retorno à Avenida Beira Rio, Mark Korir e Edwin Kipsang se distanciaram dos demais atletas e a dúvida passou a ser quem iria dar o sprint final para cruzar a linha de chegada. No último quilômetro, Edwin Kipsang assumiu a ponta e ampliou as passadas deixando o compatriota Korir em segundo lugar.

Novo recorde

O novo percurso possibilitou a quebra de recorde nos tempos, tanto no feminino no masculino. O queniano Edwin Kipsang marcou 29m13s, contra os 29m29s de Valdenor Pereira do Santos, em 2002. Já a também queniana Nancy Kipron fechou a prova em 33m52s e bateu a marca de Maria Zeferina Baldaia, que em 2002 marcou 34m15s.

Resultado masculino:

1º) Edwin Kipsang (Quênia) – 29m13s
2º) Mark Korir (Quênia) – 29m23s
3º) José Márcio Leão da Silva (Brasil) – 30m25s
4º) Raimundo Nonato (Brasil) – 30m48s
5º) Reginaldo José da Silva (Brasil) – 30m57s
Resultado feminino:

1ª) Nancy Kipron (Quênia) – 33m52s
2ª) Jackline Sakilu (Tanzânia) – 34m10s
3ª) Sara Makera (Tanzânia) – 34m23s
4ª) Sueli Pereira Silva (Brasil) – 34m56s
5ª) Nadir Sabino (Brasil) – 38m56s