Mundial de Atletismo Máster e seus desafios

24 out 2013

A realização do 20º Campeonato Mundial de Atletismo Máster, que está sendo disputado em Porto Alegre (RS), é um grande desafio para a organização, por causa de sua complexidade. O evento, que prossegue até domingo 27, exige infraestrutura já que é disputado em quatro sedes, além das provas de rua.

“A CBAt apoia o evento, com a arbitragem e o fornecimento de materiais e equipamentos vindos de vários Estados”, comentou José Haroldo Loureiro Gomes, o Arataca, integrante do Comitê Organizador do torneio. “São inúmeras categorias por prova.”

Por dia são envolvidos 220 árbitros do Brasil e do Exterior, responsáveis pela fiscalização e, se for o caso, estabelecer punições.

O evento é realizado pela primeira vez na América do Sul e conta com a coordenação técnica da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e apoio da Federação de Atletismo do Rio Grande do Sul (FAERGS).

Mais de 4 mil atletas, divididos em 14 categorias – de 35 aos 99 anos – representam 82 países. Ao todo, serão disputadas 27 modalidades. Entre as provas estão salto em altura, salto em distância, triplo e salto com vara lançamentos de dardo, disco e martelo arremesso de peso e competições de rua.

As provas estão sendo disputadas em quatro instalações: Parque Marinha do Brasil, Parque Esportivo da PUC-RS, Sogipa e CETE (Centro Estadual de Treinamento Esportivo.

Entre as delegações mais numerosas estão a do Brasil (com 578 atletas), seguido pela Argentina (550), Chile (314), Estados Unidos (240) e Colômbia (173). A faixa etária com mais inscritos é a de 50 a 54 anos, com 1.517 atletas. Também se destaca o número de inscritos entre 95 e 99 anos: são 32. Além disso, as provas mais concorridas são o 100 m (742 inscritos), 200 m (686), 8 km Cross Country (604), 500 m (603) e 400 m (573).