‘Está custando dinheiro’, diz Bolt sobre polêmica com doping na Jamaica

18 nov 2013

Eleito o melhor do mundo entre os homens no atletismo, o velocista Usain Bolt aproveitou a sua aparição pública na cerimônia da Federação Internacional de Atletismo (IAAF) para afirmar que a controvérsia sobre o programa antidoping jamaicano está fazendo com que ele perca dinheiro. De acordo com o atleta de 27 anos na coletiva após a premiação, potenciais patrocinadores estão se afastando.

– Há muita coisa acontecendo com esse lance de droga e eu realmente sinto que eles precisam ser claros a respeito disso, porque está me causando problemas quando se trata de ganhar dinheiro no meu esporte. Isso está realmente me custando dinheiro agora. Eu não estou contente com isso. O atletismo é o meu trabalho – comentou Bolt.

Um membro da Agência Mundial Antidoping (Wada) visitou a Jamaica em outubro para analisar o sistema antidoping. Sua ida se deu por conta das críticas depois que diversos exames em atletas de alto nível deram positivo. O presidente da entidade, John Fahey, disse que o país poderia sofrer penalidades duras se a Comissão Jamaicana de Antidoping não estivesse agindo de acordo com os padrões.

Bolt foi eleito o melhor do mundo no atletismo pela quinta vez em seis anos. Shelly-Ann Fraser-Pryce foi escolhida a melhor entre as mulheres pela primeira vez na carreira. Ambos foram tricampeões nas mesmas provas no Mundial de Atletismo de Moscou, na Rússia (100m, 200m e 4x100m), em suas categorias.